Colunas

1 28/07/2020 20:11

Você já leu a história “A galinha dos ovos de ouro”? Se sim, diga-me: depois que a leu sonhou em ter uma galinha que colocasse ovos de ouro para você?  Embora a realidade seja bem diferente, investir é algo necessário para quem deseja ter qualidade de vida no futuro.   Por isso, na semana passada falamos do primeiro passo para investir, que é conhecer o seu perfil.  A próxima etapa é saber sobre as principais formas de investimentos existentes.  Se você ainda acha que fazer uma aplicação financeira é coisa para quem tem muito dinheiro, está na hora de mudar de pensamento.  Entenda que existem aplicações financeiras possíveis com apenas R$50,00!  Portanto, a seguir você lerá sobre alternativas de investimentos financeiros para se empoderar e mudar de vida.

Se você pesquisar na internet sobre investimento, aparecerão praticamente informações sobre ativos financeiros.  No entanto, a possibilidade de investir é muito mais ampla.  Existem diversas definições de investimento com abordagens financeiras, contábeis, econômicas, ambientais e até sociais.  Essas são distintas na sua essência e na origem da aplicação, embora todos busquem um benefício como resultado do investimento realizado.  Desta forma, é fundamental registrar a existência de diversos outros tipos de investimentos, como: gado, apartamento, ações, terreno, empresa, títulos públicos, obras de arte, etc.  Mas, como esta coluna tem a finalidade de educar para finanças, prosseguiremos falando sobre investimentos financeiros. 

O mais tradicional e conhecido investimento financeiro é a Caderneta de Poupança.  Ela é a mais segura, gera pouco rendimento, é simples e tem liquidez diária.  Entretanto, ultimamente este investimento tem rendido menos do que a inflação, ou seja, o valor que você investe não produz rendimento real.  Perguntando-se o que isso quer dizer?  Significa que seu dinheiro valerá menos ao final de um mês do que seu dinheiro inicialmente aplicado, depois de abatida a taxa de inflação oficial do Governo.  Portanto, antes de fazer essa aplicação, compare os índices de rendimento da Caderneta de Poupança com a inflação e só faça este investimento se o rendimento for maior.  Essa diferença será seu ganho.

Se você está pensando fazer uma aplicação de baixo risco, certamente você deve considerar a Renda Fixa.  Considerada como investimento conservador, esta categoria de investimento tem como característica maior previsibilidade de rendimento, oferecendo por isso menor rentabilidade.  Geralmente possui data futura pré-acordada para resgate, porém, na maioria das vezes, pode ser antecipada, embora com perda de rentabilidade.  Nesta categoria estão os CDB (Certificados de Depósitos Bancários), RDB (Recibos de Depósito Bancário), LCI (Letra de Crédito Imobiliário), LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários), CRA (Crédito de Recebíveis do Agronegócio), LC (Letra de Câmbio), LF (Letra Financeira), Debêntures (títulos de dívida emitidos por empresas privadas), Títulos Públicos (títulos emitidos pelo Governo Federal).  Ufa!  Você deve estar imaginando que isso mais parece com uma sopa de letrinhas.  Mas, tenha paciência e verá que não precisa decorar tudo isso, apenas saber que esses investimentos existem.

Outra categoria de investimento financeiro é a Renda Variável.  Exemplos de Renda Variável são: Fundos Imobiliários, Fundo de Previdência Privada (VGBL e PGBL), e Mercado de ações.  Esse último ainda pode ser subdividido em três grupos: Fundos de Investimentos, Clubes de Investimentos e Individualmente.   Por fim, a última categoria de investimento que iremos abordar são os Fundos Multimercado.  Esses funcionam como um condomínio onde diversos investidores dividem as despesas, juntam seus recursos, e delegam a uma pessoa a escolha de onde aplicar conforme estratégia pré-definida.    As aplicações de Renda Variável e de Fundos Multimercado são consideradas mais rentáveis; logo, de maior risco, e são mais indicadas para investidores com perfil moderado ou arrojado.  Em 2019 esse tipo de investimento foi o que mais deu retorno aos investidores.  Com esse dado, você aplicaria em Renda variável ou no Fundo Multimercado?  Por outro lado, nessa pandemia muitas pessoas que aplicaram dinheiro em Renda Variável e no Fundo Multimercado perderam muito.   E agora, você continuaria aplicando?  Difícil decidir, não é?  Isso porque não dá para prever o futuro, e essa é a característica do risco!

Se você achou complicado decidir onde investir, saiba que apenas pincelamos informações acerca dos investimentos financeiros.  Dados não menos importantes ficaram de fora desse texto, como prazo do investimento e nível de liquidez.  Isso porque nosso objetivo era lhe apresentar o mundo das finanças.  Mas, se você ficou curioso para saber mais sobre essas aplicações, dá um google que ele te levará a sites bastantes confiáveis, como o http://www.cvm.gov.br/.  Sugerimos que você procure um profissional com maior conhecimento para auxiliá-lo nessa tarefa.  Inclusive, existem diversas assessorias de investimentos que oferecem esse serviço através de site ou aplicativos.   Entretanto, antes de investir, lembre-se do seu perfil e tome as decisões adequadas.  Também leve em consideração o objetivo que deseja alcançar e em que prazo.  Desejamos a você sucesso nessa jornada!  Ah, você já ouviu falar em indicador de Bem-Estar financeiro?  Ficou interessado?  Então fique ligado na próxima edição.


Categorias

 Meu DinDin - Como realizar seus sonhos 






Av. Governador Lomanto Júnior - Edifício União Empresarial Center, nº 23 - Centro - Amargosa/BA.
Tel.: (75) 3634-3239 | 9 9803-1023 (Whatsapp) - Vale a pena ouvir!
© 2010 - Rádio Vale FM - Todos os direitos reservados.